Livreto

(uma ideia de um amigo meu postar aqui o que já foi postado no Vis Ainertiae)

Estou aqui para apresentar meu novo e primeiro livreto: “‘É só brincadeira’ – Considerações sobre o cinema japonês e a vingança”. Gostaria muito de agradecer ao Raony (prefaciou a obra de forma única), Alice Erber (escoliou a obra com um grande prazer), Vitor Lopes (editou a capa e me deu dicas sobre a obra). Gostaria de pedir desculpas ao Gean – ele sabe do que se trata.

Tudo o que eu poderia pensar e falar (e talvez muito mais) sobre a obra o prefaciador e a escoliasta falaram e pensaram. Tenho nada a complementar senão que espero que vocês leiam essa pequena obra de modo imoral, ou seja, tentem ao máximo não trazer a moral que vocês possuem enquanto no ato de leitura – e isso apesar de eu fazer uma crítica moral do ocidente. Espero que vocês aproveitem a obra e amem-na por seus erros e acertos. Critiquem-na bastante – não há amor maior em relação a uma obra do que a sua possibilidade de crítica e de criação duma reflexão. Ao final de cada aforismo há um kanji que significa “vida”.

Não se esqueçam do principal: “é só brincadeira”.

Download do livreto

Devir-poeta: Poemas Quebrados I

Dos Humildes

Lançaram-me à lama, impavidamente, com um sorriso cínico nos lábios!
Eles [todo mundo], com ódio e rancor, forçaram-me a esconder todos os meus tesouros;
disseram-me que eu não era o melhor, que eu… não… podia… ser: nunca!
Nada deve elevar-se acima dos porcos [deles]. É o que disseram também.

Há neles crueldade – e paixão – o bastante para fazer o mundo inteiro arder em chamas;
afirmo-vos: nem o próprio Deus seria capaz de empreender vingança mais sublime.
Ceifam vidas puras e belas e protestam: ímpios! diabólicos! maudites!
Os mais alegres morrem em suas fogueiras sob a marca da bruxaria e da imoralidade.

Eis o seu imperativo categórico: sejais o mais baixo e assim será o mais feliz,
ponha-se à humilhação diante do teu ideal [Deus], execre-se, mortifique-se.
Lambuze-se com as pútridas águas da moral dos exíguos
e afastai de ti todo sentimento de superioridade: ele é mau!

Torna-te pequeno,
torna-te rato,
torna-te inseto,
torna-te bicho.

(Raony F. Moraes)