Pensamentos aleatórios #37

Sobre a amizade e por que vou cursar medicina.

Dia desses estava fazendo a prova da UNICAMP e tive umas associações que quero compartilhar aqui sobre a amizade, estava protelando isso mas depois de uma ligação que recebi ontem e um artigo que Eu li fiquei saudosista e resolvi escrever sobre isso agora.

Tudo começa no Ano do Senhor de número 2010, mês 11, dia 25, logo nos ultimos meses do ano quando pude me exilar do contato humano via internet e ficar em casa estudando e lendo randomicamente – tudo muito normal até que o telefone toca e minha irmã atende:

“Cure, uma tal de (todos os nomes deste artigo são fictícios) Maria da Graça quer falar contigo…”

Logo um filme passa na minha cabeça:

“Maria da Graça? Como Ela tem meu telefone?!”

E Eu agarro o telefone como um filósofo nascido no Acre sedento por um livro do Júlio Verne:

“Graça, qiso/!?! Como Tu tem o meu telefone!?”

E a gentil moça discorre sobre sua gentil amiga e pirata so called Sir Francis “‘Zi” (você já deve ter lido sobre Ela por aqui, meu caro filhote) que queria falar comigo.

Enfim, falamos por meia hora via celular (tenho pena de seu bolso depois desta ligação) sobre alguns assuntos com diversos momentos onde Elas se divertiam com o meu ‘sotaque paulista‘ (pura ilusão, paulistas não tem sotaque) e conversavam comigo enquanto eu lutava contra o cansaço e pedia a cada 3 segundos para que elas repetissem o que diziam e matutava este texto enquanto conversava sobre milhares de coisas novas para contar.

Depois de uma conversa interessante que eu não tinha fazia muito tempo Eu desligo o telefone me sentindo esquisito, monótono e mergulho num sono de 9 horas nonstop.

Acordo pensativo, o que significava aquilo? Eu tinha cogitado uma ligação dessas, mas essa ligação estava entre os itens mais remotos da minha lista de coisas possíveis; esperava antes por ataques zumbis e guerras civis no Rio de Janeiro.

Ler Ler Ler Ler