Pensamentos aleatórios #20

Do medo de agir

Ou,

Teoria das Granadas

[Aparentemente esqueci de migrar este post do outro blog]

Todos que já se dignaram a jogar algum jogo por console ou de PC que envolvia guerras ou similares, com histórias (de preferência) consecutivas entende a frustração e provavelmente já passou pela seguinte situação, observe a lógica e a sucessão dos acontecimentos:

Está você, em um tiroteio, e, no momento em que 8 capangas pulam pela porta com metralhadoras, fuzis e tacos de baseball seu unico desejo era uma granada em suas mãos.

O desejo de possuir a granada toma forma nesta experiência traumática de 10 segundos; o que te obriga a racionar balas das armas mais fortes e as tão estimadas granadas, afinal, quando será que 8 gangsters pularão porta adentro com Tommy Guns, Máscaras de gás e bolas de basquete?

Enfim, o que quero dizer é que as vezes agimos errado em guardar granadas a toa (se você guardou todas as suas, sem jogar uma, que nem eu no max payne 1 vai se sentir indentificado agora); por que não arremessar elas na cabeça de um Nazista ou dois que nem no medal of honor? Ou então fazer seu inimigo voar pelos ares como no Battlefield: Bad Company 2?

“Ok, e a filosofia? Cadê?”

Oras, imagine que a figura da Granada é a imaginação, a trajetória do artefato são as possibilidades e os inimigos são os fatos, que são martelados pela mente.

Quando se joga uma granada, numa versão simplista, duas coisas acontecem:

a) A granada acerta o inimigo e o faz em pedaços

b) A granada vai acertar aquela partícula no ar e vai desviar, geralmente acertando a sua cara e te trazendo perto de Deus.

Enfim, o problema da mente é que ela não tem restrições, quantas vezes jurávamos que a trajetória era perfeita, que iria facilitar as coisas e na realidade a maldita voltou para nós?

E quantas vezes não deixamos de jogar a granada justamente por que tínhamos medo da trajetória que ela tomaria? Quantas vezes deixamos de ir a uma festa ou deixamos de conhecer as pessoas por preconceito, por medo?

“Eu, como muitos de vocês, gosto de parar para apreciar os confortos da rotina diária, a segurança, a família, a tranqüilidade. Eu aprecio-os tanto quanto todo mundo.”

[V de Vingança]

Assim como Vocês, Eu também aprecio os confortos da rotina massacrante dos estudos, das horas encarando resoluções de exercícios e do martírio que consegue (miraculosamente) acabar com o meu bom humor.

Assim como vocês eu imagino hipóteses e as vezes me deixo levar pela possibilidade (muito agradável, diga-se de passagem – não necessariamente viável, a Björk infelizmente está casada) ; mesmo dono de certa racionalidade eu ainda sim me deixo levar pelas hipóteses malucas que a minha mente formula ; quem sabe até os mais racionais precisam de um pouco de imaginação e sonhos para não serem corrompidos pela loucura, afinal…

5 thoughts on “Pensamentos aleatórios #20

  1. kkkkkkkkkkkk

    Eu adoro granadas !!!!!

    Se os jogos seguissem a logica passariamos algumas fases bem mais facil !

    exploda os jogadores de basebol !!!!!

    • Adoraria se a munição tivesse peso e não tivesse limite:
      Minha regulação seria apenas o quanto de peso posso carregar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s