Pensamentos aleatórios #27

[O problema de gostar de ler na internet é justamente não conseguir parar de ler]

 

Racionalidade e Sabotagem: Uma visão sobre a ‘filosofia(?)’ de Alberto Caeiro.

 

Tudo começa quando postei aqui um artigo fracionado, prossigo agora falando de Alberto Caeiro(A.C.), Heterônimo de Fernando Pessoa – ‘homem’ simples, não alfabetizado, que dizia que não se deveria procurar sentido nas cosias que o rodeiam, que deveríamos sentir sem pensar – sem questionar.

 

“O que penso eu do mundo?

Sei lá o que eu penso do mundo!

Se eu adoecesse pensaria nisso.”

(em: Poemas de Alberto Caeiro)

“Ok, e aonde entra o Holmes na história?”

Na contradição em termos, meu caro!

Se deixar de se questionar sobre algo automaticamente te obriga a se questionar sobre algo; logo, pensar em não pensar te faz pensar; é como entrar em uma sala, olhar para uma cadeira e falar que não quer pensar na cadeira.

“E o Holmes, mano?”

Filhote, o holmes entra no lobo frontal.

“qiso?!”

Diz a wikipedia que ‘o lobo frontal, que inclui o córtex motor e pré-motor e o córtex pré-frontal, está envolvido no planejamento de ações e movimento, assim como no pensamento abstrato’; como eu já cansei de falar aqui a evolução nos fez evoluir esse lado do cérebro, o que torna virtualmente impossível planejar o futuro (Lesões no cérebro podem impedir a pessoa de pensar, por isso ‘virtualmente’), ao virar uma máquina de planejar graças a evolução o pobre A.C. estaria, então, impossibilitado de viver simplesmente por que não é capaz de viver sem se indagar, mesmo que a sua ‘natureza’ (filosofia) pregue a simplicidade – formular a busca pela felicidade na simplicidade é se indagar sobre o quão bom é pensar, o que é uma contradição (cansei de repetir isso).

“E o Sherlock? Só to lendo pra saber aonde ele entra!”

"Te pegar de porrada, A.C., seu acéfalo"

Sherlock disse: “Você deve ter notado como os extremos se atraem, o espiritual o animal, o homem das cavernas e o anjo.”; é impossível deixar de filosofar e é impossível viver uma vida ‘animalesca’ (afinal, outros animais não costumam se questionar por que algo é assim), é impossível deixar de se questionar sobre por que as coisas acontecem – então provamos que o desejo de Caeiro (que é o mesmo desejo de uma conhecida minha, que infelizmente se recusa a pensar no por que as coisas acontecem – quem sabe por isso tem 19 anos e apanha da mãe, sobre diabo; falarei mais sobre pensar por si só, mas isto aparecerá em outro pensamento) assim como (como visto na primeira parte do texto) não é possível viver apenas de lógica.

 

“E qual a tua proposição, pobre diabo Cure?”

Minha proposição é o equilíbrio, existem coisas que o empirismo e o raciocínio lógico não justificam, o que não é motivo para agir justificando tudo como ação do criador — o preconceito extremo com o seu oposto é desvantajoso:

Você filhote afeminado, Você filhote mulher; quantas vezes tua intuição feminina mandou ficar longe daquela garota tua sala que começou a puxar papo contigo do nada até tu descobrir que ela na verdade estava interessada no teu namorado, no gabarito da tua prova ou quem sabe na tua alma imortal?

E você, filhote machão, que, por meio da lógica e da astúcia resolveu parar de cantar as menininhas e tratar elas que nem gente – contrariando teu instinto procriador e agora está feliz da vida, com a menina que dava pé em todos os outros garotos?

AHÁ! Se entenderam completamente o que eu disse vocês entenderam aonde eu quero chegar, estou orgulhoso de vocês (que poderiam comentar no blog, me sinto falando com as paredes aqui…); os dois lados são vantajosos e o desequilíbrio entre o quanto usamos um e outro nos trará problemas na nossa relação com os outros; começaremos a discriminar não pelo que elas realmente são, mas pelo que elas parecem; ou começaremos a atribuir pesos e medidas as pessoas e esqueceremos o que elas realmente são: Pessoas – dai o meu interesse no respeito mútuo entre os seres humanos – na minha estranha filosofia do “meio termo extremo” (Não, não estou me contradizendo ao falar em meios termos extremos), nos próximos pensamentos falarei de Discursos sobre a liberdade e o respeito , falarei de 4 subtemas (Tatuagens e Piercings, Política, Literatura e Música), falarei de body modifications extremas, falarei do movimento libertário, falarei do Paulo Coelho, falarei da Björk e do The Cure e não, Não falarei de religião.

Será que anéis nos lábios te tornam uma pessoa pior? Será que não querer ser governado é realmente extremo e impossível? Será que o  Paulo Coelho irá contratar um revisor? Será que eu vou parar de falar da Björk por um post sequer?

Confirmaremos tudo isso nos tempos vindouros, com mais Pensamentos Aleatórios.

6 thoughts on “Pensamentos aleatórios #27

  1. Hahaha sua forma de redigir é otima sabia?xDDD

    Me peguei um dia desses andando na rua olhando pras pessoas… mas me toquei que não as via como pessoas, e sim como animais com pelos demais acima da cabeça com ornamentaçoes semelhantes as de indios… oo

    Meu equilibrio é desequilibrado xDDD
    Acho q me encaixaria no teu contrario. Sou totalmente extremista, mas como sou pra ambos os lados no final fica equilibrada minha opiniao (ao menos na minha cabeça neh? hahahaha)
    Nossa to tão risonha hj… bizarro.
    Enfim não querer ser governado é uma coisa… comum de se ouvir né? mas se pararmos pra analisar são poucos que realmente parecem não querer ser governados…
    É, as pessoas são complicadas… tudo me parece relativo a não ser minhas verdades (que so existem em relação a mim então nao conta xD)
    Tudo tem dois lados(ou mais), e nada é absoluto…
    Tudo depende de tudo… mas o ruim de seguir essa linha de pensamento é q não se chega a lugar algum xD hahahaha

    Eu concordo, a logica nao resolve tudo, ate pq nem tudo é ciencia exata….

  2. As vezes também me sinto falando com as paredes, apesar da não tão ruim frequência do nosso blog, que está ainda crescendo.

    Paulo Coelho é muito foda, apesar de muitos falarem que em seus livros há muitos erros ortográficos (o que é um paradoxo levando em consideração que ele faz parte da ABL), eu não vejo muitos erros não, as vezes eu vejo um ou outro, mas nada que prejudique a leitura.

    E bem, como eu pensava, a minha tese é diferente da sua XDD Mas a sua não deixa de ser interessante.

  3. Felipe:
    O Fato do P.C. estar na ABL é irrelevante, o Ivo Pitanguy e o José Sarney também tem suas cadeiras; o Pitanguy só contribuiu com literatura médica e Sarney é inexpressivo enquanto autor – E voltando ao P.C, bem… Demorar uma página para falar algo que pode ser sintetizado em uma linha pra mim não é característica de um bom autor.

    • Então Edgar Allan Poe e vários outros mestres do século XIX são péssimos autores, não? É, também discordo. Acho que a questão não é falar tudo em uma linha ou em uma página, mas saber como falar exatamente o que se quer falar.

      • Exatamente, na minha opinião, você pode falar o que ele quis dizer em uma linha, mas jamais poderá falar o que ele quis dizer do jeito dele. Não vejo isso como uma coisa ruim, apenas o estilo dele. Assim como você pode descrever várias coisas em milhares de linhas, sendo que se você for falar para um leigo, uma ou duas palavras já bastam. Questão de estilo, creio eu.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s