Pensamentos aleatórios #10

Dos vícios.

Hoje venho falar dos vícios; sejam eles drogas ilícitas, sejam eles cigarros e cerveja ou outras coisas mais como comida, mordidas , doces e computador (L).

Desde quando os seres humanos existem em sociedade a droga se dissemina; seja o ópio Grego e Chinês, passando pela cerveja Egipcia, pelo vício do meu colega Freud pela morfina e depois pela cocaína (que inclusive elogiou como o uso da segunda fazia a vontade pela primeira passar), pelos doces e sua endorfina maravilhosa, pelo café, pela televisão, ad infinitum… e todos temos vícios, sejam eles prejudiciais para si ou para os outros, todos estamos atados a algo que nos ocupa certo tempo e nos dá prazer.

Alguns abaixo:

Cigarros:

Acho interessante como o cigarro é viciante, me lembro de quando meu irmão começou a fumar e agora tenta parar desesperadamente, a nicotina tem efeitos calmantes e trás muitas doenças legais como câncer;  é vítima da ‘geração saúde’ que irônicamente critica o cigarro mas usa drogas ilícitas e bebe tanto quanto pode – por que beber e usar maconha é hype.

Vário maços! VÁRIOS POR DIA!111!

Cerveja e derivados:

‘Bla bla bla bla, mas é só pra se divertir, Cure!’,  eu não desconsidero aqui os efeitos benéficos do vinho e a integração das pessoas; mas parece que tem uma cultura por trás da bebida que diz que se você não gosta de beber significa que você odeia Jesus; jovens que acham legal beber para ficar louco, entrar em coma alcoólico aos 11 anos de idade ou desmaiar bêbado no meio da rua. Não entendo essa juventude.

“TO LOKO NA NIGHT, MLK!”

Maconha e eventuais ‘drogas hypes’:

‘CURE SEU HIPÓCRITA EU TE ODEIO  POR QUE TU ODEIA QUEM FUMA1!!1!1!!!!11’

Não, não, filhote. Pelo contrário, eu conheço e gosto de muitas pessoas que fumam maconha e usam outras drogas hypes, pessoas que são sãs e tem cabeça aberta para conversar sobre diversos assuntos, não tenho opinião formada:

Acredito na grande mídia que defende que maconha causa mal aos neurônios (e tenho amigos fumados completamente normais) ou acredito na mídia underground que fala que tudo isso é história e não queriam fazer produtos com maconha?

O problema é quando a pessoa passa a usar a droga como válvula de escape e como substituto para todas as outras experiências (como vemos nos usuários de drogas pesadas como heroína,  crack, metaanfetaminas; drogas que eu abomino) – o fim, geralmente é a morte.

“Como Eu estava falando, caro sacristão… […]… é… vamos comer um lanche?”

Isso aliás me lembra de uma história de um homem que queria trocar seu Ipod por um Ipad e maconha (o que resultou na sua prisão) mas isso é um assunto que eu posso comentar outro dia com mais tempo quando falar da ignorância humana…

Comida e doces:

Ignore aqueles que são obesos por causa de doenças e aqueles que comem para aliviar o stress, ou as futuras mamães grávidas, comer é muito bom.

Oras, Cure! Por Odin, não fale mais em comida, estou com fome!

*-*’

PASSE FOME!

Não há o que falar, comida é boa e fim; mas manere.

Jogos e computador:

Não descarto a inovação que o computador trouxe a nós e a união que ele proporciona para unificar mais a sociedade e trocar informação. Infelizmente o computador anda sendo utilizado como substituto do diálogo e substituto de outras atividades, dai observamos o vício como deste pobre homem:

Cure, mas que cara maníaco!

Não se esqueça, meu caro filhote, da atitude ridícula da namorada; que deletou o personagem level 90 do WoW; pra ter construído tudo isso em um servidor verdadeiro houve um emprego imenso de tempo e dinheiro.

Não, mas pense na namorada, Cure!

A namorada poderia ter DIALOGADO e terminado o namoro se quisesse, mas preferiu ser infantil e mesquinha.

Futebol e Religião:

Mas e o futebol e a religião?

Não vou falar de gente que fica 16 horas na igreja e/ou na fila pra comprar ingresso e ver gente brigando por causa de um jogo, ou brigar por que eu estou sou ‘racista e preconceituoso’ por que não acredito no Diabo.

Café:

Quis deixar o café por último (por isso dissociei ele da parte de comidas), por que a cafeína foi o embrião que originou este post.

A cafeína é uma maravilha, estimulante que ‘acaba com’ o sono e é extremamente viciante – mas ainda sim é maravilhosa sob todos os aspectos, o café pode ser prejudicial se consumido depois de certa dose (4 xícaras/dia) mas quem liga para isso quando se tem café por perto?

Ela ❤

Isso me lembra de certo político que tomava entre 15 e 20 xícaras de café por dia durante seus comícios com certo partido passando mal por intoxicação por café (o que de fato não é tão ruim assim), e que preciso sair para tomar um café com uma amiga que prometeu que ia me dar um relógio de bolso.

Enfim, aqui concluo minha análise humilde e minhas críticas humildes aos vícios das pessoas (alguns, inclusive, meus), obrigado por ler e é só.

Dedico este post ao meu filhote: Sir ‘Zi’ Drake (que deu a idéia sobre a cafeína e que espero que tatue a sua molécula futuramente) e deixo aqui meu apelo para que este mesmo filhote não fique convencido por ter duas dedicatórias aqui.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s