Pensamentos aleatórios #6

Do aprendizado.

Estou ficando velho, chegando aos 18 anos de idade, estudando em cursinho pra entrar na faculdade e virar um respeitável (?) explorado profissional da saúde.

Hoje foi um dia engraçado: acordei com uma vontade doida de ter aula, tivemos duas aulas de matemática e Eu adorei a matéria, química,  duas aulas de geografia (essa ai e uma sobre clima e vegetação da Europa) e por fim tivemos uma aula de citologia (<3) – depois tive um simulado de matar;  ainda sim estou feliz pelo meu dia.

Um dia desses perguntei a um amigo por algo pra escrever e ele sugeriu que eu falasse sobre os estudos – hoje ouvi uma aula de geomorfologia (estudo das características físicas do solo) brasileira (não sei como odeiam essa matéria) e meu professor disse algo que me interessou bastante:

Não precisa gostar de geomorfologia, só precisa entender a matéria pra acertar na prova. Quem gosta de Geomorfologia é geógrafo.

Eu gosto de geomorfologia, assim como gosto eu de muitas matérias – estou me esforçando pra encontrar uma matéria que não me intriga.

Somando com outra coisa que é interessante e que tem a ver com o assunto; minha turma é constituida assim:

99% Médicos

1% Outras áreas

E isso tem uma consequência interessante: Salas quietas (o que é bom) e alunos hipócritas (o que é ruim).

Por que a maioria deles é hipócrita (sim, generalizando)?

Por que eles não conseguem pensar em outra matéria que não Biologia e Química – Mais especificamente biologia e química ligada a área que eles querem seguir.

Botânica e termoquímica foram jogadas para escanteio. Um dia desses o professor fez um comentário legal:

Gente, não é legal saber que a fórmula respiração é o oposto da fórmula da fotossíntese? *-*’

Depois de um assobio longo de desaprovação da turma o homem solta um desabafo que pouca gente ouviu e creio que pouca gente entendeu:

Decorar fórmula e não entender é coisa de médico chinfrim e médico chinfrim tem em todo lugar

Relembrando:

Fotossíntese : 6H2O + 6CO2 + Energia → 6O2 +C6H12O6
Respiração : C6H12O6 + 6O2 → 6CO2 + 6H2O + energia

Ah, a biologia é a coisa mais foda do universo (haram detected, não me mate, Blue) *-*’

Outro ‘causo’ foi o de uma menina que reclamou baixinho: “Nossa, se não entendeu isso como vai passar em medicina?”; de uma pergunta ‘boba’ de outra garota pro professor.

Enfim,dá pra entender o quanto eu tenho medo de médicos esnobes que podem ser formados; existem coisas tão legais e intrigantes quanto o corpo humano.

Eu andei refletindo sobre o processo de aprendizado, andei refletindo sobre os filósofos (desde Tales de Mileto, passando por Mendel e Newton e chegando a Einstein e outros mais recentes) e sobre a opinião deles sobre o conhecimento e o aprendizado; creio que sintetizei algo interessante que pode ser expressado:

O conhecimento vem do interesse em algo.Você que é aluno do Blue ou aluno de qualquer outro professor e se interessa por matemática claramente gosta de estudar matemática; seu desinteresse em biologia ou geografia é fruto de algo que gerou seu desinteresse ou dúvida em determinada matéria; a dúvida gerou desinteresse por sua vez ou aquele professor bravo que te azucrinou tanto que te criou um ‘bloqueio’ para determinada matéria.

A matemática é o contrário; é um momento de prazer no seu dia. Você senta e dá uma lida e resolve o assunto.

Você, amante da história, da geografia, da sociologia, da psicologia, da geometria, de letras em geral, você, músico, você, ator, você, anarquista vadio editor de blogs como eu; todos nós nos interessamos por algo.

Nos interessamos por algumas matérias e nos apegamos tanto a elas que resolvemos seguir a vida toda estudando com isso; Como não conseguem gostar dessa matéria ___________ (escreva o nome da matéria aqui), é tão gostoso sentar e ficar lendo sobre isso , rendemos mais por que não tomamos algo por estudo, por que tomamos algo por passatempo – Rendemos muito mais que um aluno comum por que não dizemos ao nosso cérebro “É, essa matéria é um saco; nunca vou aprender isso!”; foi assim até o meu último ano de colégio, até a minha última prova de exame:

Física, Matemática e Matemática com notas que foram respectivamente: 9,5;10;10

Comentando: Nunca gostei de exatas e mesmo assim me sinto bravo por ter tirado ‘só’ 9,5 nessa prova de física.

Descobri que não existe essa coisa de matéria chata, é legal saber e aplicar o que se aprende; saber aonde se usa essa fórmula maluca e o que se pode produzir, meu professor falou isso também na aula de geomorfologia – só assim realmente se aprende:

  1. Ácido Acético (vinagre) + Álcool Zulu vira removedor de esmalte (depois de alguns meses mechendo essa mistura, vai que dá :/)
  2. A cidade de São Paulo é relativamente plana por que está em cima de uma pilha de sedimentos.
  3. Podemos fazer explosivos com glicerina e nitrogênio (não vou ensinar)
  4. Podemos fazer explosivos com enxofre, salitre e Nitrato de Sódio (também não vou ensinar a fazer)
  5. Podemos fazer explosivos com salgadinhos e açúcar (Deu pra ver que eu gosto de coisas explosivas, não? *-*’

É conhecimento aplicado, bonito de se ver e de se falar.

E quanto a dificuldade?

Bem,  é preciso entender o básico pra aprender a fazer os tão amados explosivos de salgadinho; pra aprender o que é um hidrocarboneto, como é a duplicação de uma célula, como é que funciona essa coisa de gramática,  a aceleração vetorial, o balão e etc…

Enfim, aprender é isso. Interesse, força de vontade e construção.

Como uma casa de tijolos.

P.S: Dedico esse post ao Melz, Professor Cláudio e Professor Daniel.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s