Pensamentos aleatórios #5

Da opressão

Hoje resolvi escrever sobre um tema polêmico: A Opressão (?)

1- Não falarei da opressão do Estado sobre o povo.

2-Não falarei da opressão do capitalismo sobre o povo.

3- Não falarei sobre a opressão do amado que em vez de exigir amor verdadeiro, exige todo o amor do outro- consumindo e criando uma bola de neve que tende ao fim do relacionamento.

Resolvi falar da opressão na adolescência, da juventude e da ânsia de mudar e acabar dentro de um grupo de pessoas ‘com estilo, com personalidade e perfeitas’.

A adolescência é a fase aonde o individuo em questão começa a questionar o que o cerca, começa a discordar dos pais – começa a parar de justificar o que faz por que o pai mandou, ou repetir a resposta que o pai deu sobre tal assunto . Em suma: uma emancipação essencial para todo ser humano que deseja se tornar algo mais que um número em um banco de dados Estatal, uma criatura pensante.

Ai vem o problema:

Os Adolescentes (existem exceções, claro) tem essa estranha mania de agir igual a abutres procurando algum assunto para serem diferentes, para se destacarem, para atingir o estrelato, a fama, custe o que custar: Fumam, Bebem, Drogas aqui, Drogas ali, Música da moda, Roupa da moda, etc

Eu me pergunto o seguinte: Cara, meu amigo infantil, por que DIABOS você quer fingir que GOSTA de algo, por que MENTIR pra si mesmo  buscando parecer algo que você nunca vai poder ser?

Não tenho problema com quem se droga, com quem bebe e com quem fuma, tenho problemas sérios com quem não gosta de nada, mas faz pra agradar, ser diferente, se entrosar – (agora algo que meu professor falou e me inspirou a escrever este texto):

“Quem realmente é diferente é isolado no grupo dos diferentes como estranho, como cara bizarro, como garoto(a) que não tem nada a ver com o grupo”

E de fato, é a mais pura verdade. Olhei pro meu passado e o meu presente ; no meu grupo de amigos ‘hypes’ eu sou o mais estranho, sou o unico considerado diferente em um grupo que se autodenomina estranho.

Me pergunto o por que Eu e tantos outros receberam esse título e acho que cheguei a uma(s) conclusão(ões) interessante(s):

1- Sofro de uma doença grave ou tomei chá de fita e sobrevivi: acredito que tudo é feito de bolo, falo coisas sem sentido (definitivamente, ai é difícil ser considerado normal tomando chá de fita…)

2- “Sou diferente dos outros, leio muito, pesquiso muito, não ajo pra agradar os outros, não preciso mentir sobre meus sentimentos, não preciso fingir que sou hype, não uso a roupa da moda, não ouço a música da moda, não sei quem é Justin Bieber, não vejo TV há anos”

Agora comparando com os caras ‘estilosos, com personalidade e perfeitas’ fabricadas em massa:

“Não gosto de ler, gosto de ver meus amigos felizes: falo pra agradar eles, eu sou estiloso, eu estou sempre na moda, adoro as musicas do momento (Lady Gaga, Cine, Restart, Fiuk, Pepê e nenemEtc etc) e adoro ver malhação”

!- “Cure, você generalizou ali, rapaz!”
Eu sei, eu disse que existiam exceções.

Enfim, o grupo 2 adora oprimir o grupo 1, por que o grupo 2 ou não entende ou tem inveja do que o grupo 1 pode ser,  justamente aqueles que são o que o grupo 2 diz/quer ser, justamente pela sua ignorância extrema, pela sua falta de profundidade de conhecimentos.

Eu lanço uma(s) pergunta(s) que me martela a todo momento:

Qual a vantagem de pegar geral na balada? Qual a vantagem de encher a cara e se vangloriar por causa do seu PT ou do seu quase coma alcoólico? (diga-se de passagem, uma criança de 11 anos tava numa festa de um conhecido meu e entrou em coma alcoólico; boa rapaz!), e a maconha que você fuma pra pagar de legal, sendo que você não gosta? E as coisas que você fala? E as frases de amor vazias? E o seu amor de botequim? E o seu respeito pelas pessoas que são suas amigas, e o respeito pelas pessoas que são inferiores a você, e as suas ações?  E os seus pensamentos?  Você realmente pensa ou aceita o que os outros disseram como sendo verdade?

Suas citações foram pegas em um blog qualquer, trabalha com seu pai, vai fazer faculdade de administração pra tocar o que seu velho construiu, vai ficar velho e descobrir que seus ultimos 40 anos foram dedicados a viver o próximo mês.

Quem será realmente o anormal oprimido?
Mais um robô ou uma pessoa de verdade?

Dedico esse texto ao professor Heric de português do curso Etapa; que deu o pontapé que me inspirou a escrever este texto.

One thought on “Pensamentos aleatórios #5

  1. Pingback: Pensamentos aleatórios #15 « Era uma vez Chaplin…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s